06 fevereiro 2016

Resenha: Mordida


Título: Mordida
Título Original: Overbite
Autora: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Nº de páginas: 308
 4/5

O poder especial de Meena Harper finalmente será valorizado. A Guarda Palatina - uma poderosa unidade secreta que caça demônios - a contratou para trabalhar na filial de Manhattan. A questão é: seu ex-namorado, Lucien Antonesco, é filho do Drácula e o príncipe da escuridão. Tudo bem, Meena decidiu que já chega de vampiros em sua vida... Ao menos até que consiga provar que, mesmo não tendo alma, os seres demoníacos não perderam a capacidade de amar.


Para quem não viu essa é a resenha do primeiro livro.

Bom, eu terminei Insaciável roendo as unhas de ansiedade, por isso não consegui resistir e tive que ler o segundo livro. Vou logo avisando que essa resenha contém spoilers do primeiro livro, então, se você não leu o primeiro, não leia essa resenha. Mas se quiser spoiler... Seja bem vindo.

Mordida, começa do ponto em que Insaciável parou, mas com algum tempo passado. Meena agora trabalha para a Palatina junto com Alaric e seu irmãos e Lucien está desaparecido. Depois de tudo o que aconteceu, ela não quer o vampiro perto dela, mesmo ainda acreditando ser apaixonada por ele. Tudo está indo normalmente bem até que ela descobre que seu ex namorado – David, que tinha largado ela para ficar com sua enfermeira – virou um vampiro e tenta ataca-la. É preciso que Meena o mate e, depois disso, uma série de situações começam a surgir. Meena, Lucien (que voltou para ajuda-la, claro) e a Palatina descobrem que algumas pessoas estão sendo transformadas em vampiros para mata-la, Meena nesse caso, por isso, precisam descobrir quem está fazendo isso e porquê. Em contra-partida, Lucien está, com a ajuda de alguns fatores desenterrados do seu passado, se tornando o príncipe das trevas mais poderoso que já existiu.

Igualmente ao primeiro livro, Mordida é uma leitura fácil e rápida. Outra vez, temos a mesma formatação, com os três – ou quatro – “narradores”, Meena, Lucien, Jon (o irmão de Meena) e Alaric, o que nos dá essa sensação de estar sempre por dentro de toda a estória.

Novamente, o livro é extremamente rápido pois se passa em poucos dias, mas isso torna a estória ainda mais legal e nunca é monótona.

O relacionamento de Lucien e Meena começa a desandar, desastrosamente. Um dos fatores que eu não gostei muito no livro foi esse. O amor que ela sentia por Lucien começa a dar lugar ao medo, o que eu achei um pouco infantil da parte da protagonista, e ela começa a se relacionar mais com Alaric.

O relacionamento de humano/vampiros é realmente muito complicado quando se termina um livro que tem esse assunto. Não são muito o leque de opções para o final de um livro como esse, mas não gostei do jeito que Meg finalizou. Fiquei extremamente decepcionada pelo final. Ela foi surpreendente e não havia outra maneira mais realista de terminar o livro, mas nesse caso preferiria o clichê. Realmente, me decepcionou, mas não tirou o brilho do livro.

SPOILER: Lucien morre para matar todos os vampiros e Meena fica com Alaric.

Nenhum comentário:

Postar um comentário