09 fevereiro 2016

Resenha: A morte de Sarai

Título: A morte de Sarai (Na Companhia de Assassinos #1)
Título Original: Killing Sarai
Autora: J.A. Redmerski
Editora: Suma de Letras
Nº de páginas: 255
 4/5

Sarai era uma típica adolescente americana: tinha o sonho de terminar o ensino médio e conseguir uma bolsa em alguma universidade. Mas com apenas 14 anos foi levada pela mãe para viver no México, ao lado de Javier, um poderoso traficante de drogas e mulheres. Ele se apaixonou pela garota e, desde a morte da mãe dela, a mantém em cativeiro. Apesar de não sofrer maus-tratos, Sarai convive com meninas que não têm a mesma sorte. 


Depois de nove anos trancada ali, no meio do deserto, ela praticamente esqueceu como é ter uma vida normal, mas nunca desistiu da ideia de escapar. Victor é um assassino de aluguel que, como Sarai, conviveu com morte e violência desde novo: foi treinado para matar a sangue frio. Quando ele chega à fortaleza para negociar um serviço, a jovem o vê como sua única oportunidade de fugir. Mas Victor é diferente dos outros homens que Sarai conheceu; parece inútil tentar ameaçá-lo ou seduzi-lo. 


Em “A morte de Sarai”, primeiro volume da série Na Companhia de Assassinos, quando as circunstâncias tomam um rumo inesperado, os dois são obrigados a questionar tudo em que pensavam acreditar. Dedicado a ajudar a garota a recuperar sua liberdade, Victor se descobre disposto a arriscar tudo para salvá-la. E Sarai não entende por que sua vontade de ser livre de repente dá lugar ao desejo de se prender àquele homem misterioso para sempre.




Sarai foi vendida pela mãe á um traficante de drogas e mulheres, Javier, quando tinha apenas 14 anos depois, mas seu destino nunca foi igual ao das outras. Enquanto elas eram vendidas, Sarai ficou sob o controle de Javier, já que esse se apaixonou por ela. Nove anos depois, Sarai vê sua oportunidade de fugir. Um americano entra no covil do mafioso mexicano para negociar com ele e ao ver de perto as habilidades do homem, Sarai se infiltra no carro dele, para que ele possa ajudá-la a escapar. Mas o homem é muito mais do que apenas um simples negociante e está muito longe de aceitar levar Sarai para a fronteira dos Estados Unidos sem nada em troca. Victor é um assassino de aluguel e irá fazer de tudo para tirar proveito de Sarai, principalmente quando Javier começa a caçá-la. Mas Sarai e Victor, vão acabar desenvolvendo um outro tipo de relacionamento dentro de toda a perseguição, algo que vai mudar completamente o rumo das coisas.

Sarai achou que seria fácil apenas ser deixada nos Estados Unidos e recuperar sua vida de antes, mas ela não tem família, não tem ninguém que possa ajudá-la, não tem mais rumo. Ela passou tanto tempo trancada tentando ajudar outras garotas e sendo usada por Javier que, depois de seu único sonho ser realizado, ela não sabe mais o que fazer.

Victor é um homem duro e cruel. Foi treinado durante toda a sua vida por uma organização de assassinos de aluguel para não ter sentimentos, mas depois de conhecer Sarai e sua ingenuidade, seus princípios mudam completamente e ele passa a fazer de tudo para protegê-la.

Os dois se juntam contra Javier, mesmo indo contra á tudo que Victor acredita ficar com Sarai, mas ele faz de tudo, até o fim, para protegê-la, mesmo colocando-a em um perigo ainda maior deixá-la ao seu lado.

O livro é como um filme de ação, misturado com romance, choro e drama e um final surpreendente. Já tinha lido um livro da autora e gostei muito, por isso criei uma expectativa enorme para A morte de Sarai. Não me decepcionei, mas foi diferente do que eu imaginei que seria. Já tinha lido um livro desse estilo antes, e é como um clichê, mas um clichê bom.

Foi interessante ver o Victor começando a amolecer e a Sarai começando a ficar mais dura. Um acabou aprendendo com  outro e o fato do livro ser narrado pelos dois, deixa ainda melhor, já que podemos ver o ponto de vista dos dois.

Mesmo com ação, tiro, gente morrendo, briga, soco, sangue, mais tiro, mais gente morrendo, é uma leitura leve. O livro é pequeno e não é maçante, muito pelo contrário, é até um pouco divertido e inacreditável em algumas partes.

Recomendo, mesmo para aqueles que não gostam do gênero. O livro é muito bom e deixou com um gostinho de quero mais (de quero muito mais) no final.


SPOILER: Eles não ficam juntos no final. E ela volta a ter uma vida normal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário