21 junho 2017

Resenha: Gelo Negro


Título: Gelo Negro
Título Original: Black Ice
Autora: Becca Fitzpatrick
Editora: Intrínseca
Nº de páginas: 304
 4/5
Britt Pfeiffer passou meses se preparando para uma trilha na Cordilheira Teton, um lugar cheio de mistérios. Antes mesmo de chegar à cabana nas montanhas, ela e a melhor amiga, Korbie, enfrentam uma nevasca avassaladora e são obrigadas a abandonar o carro e procurar ajuda. As duas acabam sendo acolhidas por dois homens atraentes e imaginam que estão em segurança.
Os homens, porém, são criminosos foragidos e as fazem reféns. Para sobreviver, Britt precisará enfrentar o frio e a neve para guiar os sequestradores para fora das montanhas. Durante a arriscada jornada em meio à natureza selvagem, um homem se mostra mais um aliado do que um inimigo, e Britt acaba se deixando envolver. Será que ela pode confiar nele? Sua vida dependerá dessa resposta.
Gelo Negro conta a história de Britt Pfeiffer e suas tão aguardadas férias de primavera. Britt planejou cada detalhe da trilha que ela faria com sua melhor amiga, Kobie, para impressionar seu ex namorado e grande amor da sua vida, Calvin. Porém, Calvin aparece para acompanhá-las e Britt descobre que nunca o superou.

No meio da caminho para o destino final, Britt e Kobie ficam presas no meio de uma nevasca e para não morrerem congeladas, as duas decidem procurar ajuda. Elas encontram uma cabana onde estão dois rapazes muito atraente, Mason e Shaun.

Britt e Kobie acharam que ficariam até algumas horas aguardando a nevasca, na companhia de dois garotos, com uma boa conversa. Porém, alguns minutos depois que elas chegam, são feitas de refém pelos rapazes que são, na verdade, dois foragidos na polícia e que quer ajuda delas – mais especificamente de Britt, que conhece a floresta como a palma da sua mão – para fugirem.

A partir daí, vai começar uma aventura em meio ao frio congelante onde Britt fará de tudo para manter ela e sua melhor amiga salva, enquanto tenta escapar dos dois bandidos. Muitíssimas revelações que mudaram a vida da nossa corajosa protagonista a farão perceber que nem tudo é o que parece.



Antes de tudo, tenho que confessar que fiquei muito preocupada com essa mudança de estilo literário de Becca. Sou muito fã da saga Hush Hush e temi que não desse muito certo, com suspense, mas Becca me surpreendeu de maneira muito positiva.

A história de Gelo Negro não é só uma viagem que deu errado e acabou em um sequestro. É muito mais do que isso porque no ano anterior, na montanha onde está acontecendo o cenário da história, aconteceram o desaparecimento e assassinato de várias garotas e, além o trama para Britt escapar das mãos dos foragidos, também há todo mistério que se desenvolve quando, em várias paradas durante o caminho, Britt encontra várias pistas sobre o assassinato das garotas.

Gelo Negro tem muitas reviravoltas, não pode ser chamado de um livro maçante. Os capítulos não são muito grandes e em cada mistério que é construído, vamos ficando cada vez mais ansiosos. Isso é muito interessante.


Os personagens são fatores interessantes no livro também. Não temos muitos personagens, mas os poucos são bem desenvolvidos.

Costumo não gostar muito de protagonistas, mas achei Britt muito parecida com Nora – protagonista de outro livro da autora –. Ambas parecem frágeis e inúteis, mas, na verdade, são personagens bem fortes e corajosas. Não é todo mundo que tem coragem de, enquanto é feita refém por bandidos, consegue bolar vários planos e estratégias para fugir.

Além de Britt, o outro protagonista da história é Mason, um dos foragidos. Mason é muito diferente de Shaun. Ele é misterioso e sempre tenta proteger Britt. Shaun é um carniceiro, que não se importa em matar e só quer ir embora, não importa o que precise fazer. Custe o que custar. Mason não se encaixa no perfil de bandido e, quanto mais vai avançando a história, vamos descobrindo mais sobre o personagem.


Não posso dizer que a trama é intensa, porque não é. Gelo Negro é uma leitura leve. Achei um pouco óbvia também, mas talvez alguns não achem. Ela nos deixa confusos e perdidos, duvidando do que acreditamos e isso foi muito legal. Foi um jogo bem legal.

Achei alguns pontos desnecessários durante o livro, como a fixação de Britt pelo ex namorado, Calvin, mas depois que tudo vai se encaixando, vai ficando tudo evidente e o livro fica cada vez melhor.

O romance, claro, é do jeito que só Becca sabe fazer. Viciante e apaixonante. Para quem gosta de um bom romance, esse é um ótimo livro. O casal principal é super fofo e, mesmo parecendo impossível, a gente meio que entende e aceita.


Bom, o final, assim como o da saga Hush Hush, foi aquele final perfeito, sabe? Foi fantasioso sim, muito, mas combinou perfeitamente com o livro. Achei muito bom e recomendo muito.


⚠️ SPOILER: Quem matou as garotas foi Calvin, com ciúmes delas terem sucesso e ele não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário