24 junho 2017

Resenha: O destruidor de corações


Título: O destruidor de corações
Título Original: Worth the fight
Autora: Vi Keeland
Editora: Charme
Nº de páginas: 201
 SKOOB
 3/5
Não importava que o árbitro tivesse considerado que aquele tinha sido um golpe limpo. Nico Hunter nunca mais seria o mesmo. Elle tem uma boa vida. Um trabalho que ela ama, um apartamento grande, e o cara que ela está
namorando há pouco mais de dois anos é um ótimo partido. Mas sua vida é chata... e ela se esforça para mantê-la assim. Muitas emoções são perigosas. Seu próprio passado é a prova viva do que pode acontecer quando você perde o controle.

Então Nico entra no escritório de Elle e tudo muda... para ambos. Mas o que o lindo lutador de MMA, tatuado e com um corpo de tirar o fôlego pode ter em comum com uma advogada muito controlada? Muito mais do que eles esperavam. 

Elle vive sua vida esquecendo totalmente do seu passado. Tem um bom emprego em uma firma de advocacia, tem bons amigos, é bonita, desejável, inteligente, tem um “namorado” igualmente bonito, inteligente e desejável e tudo está bem, até que ela recebe o caso de Nico Hunter para resolver.
Nico “Destruidor de corações” Hunter é um lutador de MMA que esteve fora dos ringues nos últimos tempos e assim que põe seus olhos em Elle, sabe o que quer. A atração entre os dois é óbvio e nenhum deles consegue resistir, até que a relação se torna profunda demais e segredos do passado começam a ser revelados.
Depois de um acidente em cima do ringue, que fez Nico matar um homem, ele nunca mais foi o mesmo. A culpa e a dor é demais e apenas Elle, que tem um segredo tão obscuro quanto sobre o seu passado, pode entendê-lo e ajudá-lo.


Assim que li a sinopse de O destruidor de corações, gostei. Sou louca por livros com lutadores, mesmo se tratando de história já clichês e meio previsíveis.

Os personagens são feridos, cheios de cicatrizes, mas que, juntos, se completam. Elle é uma advogada que esconde seu passado debaixo do tapete, uma mulher desejável, assim como Nico. Ele vem de uma família grande, ao contrário do que sua aparência e seu estereótipo mostra, ele é romântico, carinhoso e bem família, Não é “escuro” como a maioria dos personagens badboys. Quando conhece Elle, Nico decide que quer largar sua vida de cafajeste e quer começar algo sério com ela. Os dois embarcam em um relacionamento, mas quando os segredos do passado dele, o fato dele ter matado um homem em cima do ringue, aparece, esses sentimentos deles dois vão ser colocados a prova.

O livro tem um enredo legal, uma história interessante, porém é fraco. É um livro que não é envolvente, não intriga, não é quente, com uma história de amor de tirar o fôlego, como eu espera. É o mesmo água com açúcar de sempre, sem nada de diferente.

Talvez tenha sido a narrativa, ou o desenrolar muito rápido de tudo. Não teve aquela construção de um clima, algo para ficar nos fazendo roer a unha de ansiedade. Seguiu a mesma linha durante o livro inteiro e por isso não foi tão bom. O casal principal não foi tão apaixonado, achei que a autora apressou demais as coisas.
Não me envolveu, não me deixou pedindo por mais, como a sinopse prometia.



⚠️ SPOILER: Ela matou o pai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário