03 setembro 2017

Resenha: Paixão Libertadora


Título: Paixão Libertadora (Desejo Proibido #2)
Título Original: An Ounce of Hope
Autor: Sophie Jackson
Editora: Arqueiro
Nº de páginas: 352
SKOOB
 4/5
Max OHare já passou por muitos momentos difíceis na vida. Depois de perder um grande amor e ter que se internar numa clínica para se livrar das drogas, ele decide que é hora de trocar Nova York por uma cidade do interior, na tentativa de se reerguer ao lado da família.
É lá que ele conhece a deslumbrante Grace Brooks. Amante da arte e da fotografia, ela parece a mulher perfeita. Mas o que Max não sabe é que ela guarda a sete chaves a verdade sobre o próprio passado. 
Atraídos um pelo outro, mas com medo das consequências que um relacionamento sério pode trazer a suas vidas já complicadas, eles fazem um pacto para que a relação seja apenas sexual, sem sentimentos envolvidos. Até que as coisas começam a mudar entre os dois...
Presos a grandes medos e a segredos profundos, Max e Grace precisam aprender a confiar de novo e se entregar um ao outro não apenas de corpo, mas também de alma.

No primeiro livro conhecemos a estória de Max, melhor amigo de Carter. Tentou se matar, perdeu os pais muito novo, conheceu uma garota chamada Lizzie, se apaixonou, noivou, a engravidou, mas perdeu seu filho e foi abandonado pelo amor. Se afundou ainda mais no tráfico e nas drogas, mas com a ajuda do seu amigo se internou em uma clínica de reabilitação para melhorar. Depois de três meses, decidiu se mudar da cidade grande para um pequeno interior, para continuar seu tratamento. E é lá que Max conhece Grace.

Grace teve um passado traumático. Quase morreu com causa de um marido perturbado e agora está tentando erguer sua vida em um novo lugar, na companhia de novas pessoas. E é nesse novo lugar que ela conhece Max.

Por conta de sua personalidade encantadora, Grace logo encanta Max, mas o rapaz está fugindo de relacionamentos e seu coração está totalmente fechado para o amor. Por conta dos seus traumas, Grace aceita a ajuda da amizade de Max para se reerguer e conseguir socializar e ser feliz outra vez. Por isso os dois decidem embarcar em uma amizade colorida para que ambos pudessem se ajudar, matando o desejo que flui entre os dois, mas sem se prender. Porém, os dois parecem estar desfrutando demais desse “relacionamento” e a linha entre a paixão e o amor é muito tênue entre os dois.


Logo pela sinopse podemos perceber que esse livro seria bem intenso e cheio de emoções á flor da pele. E com certeza foi, mas de uma maneira muito diferente do que eu esperava.

O livro começa com as estórias individuais de cada um e eu achei uma coisa maravilhosa, porque explica a vida deles antes de conhecerem um ao outro e ficamos sempre na expectativa de “é agora que eles vão se conhecer?” e “será que é agora?” o que é muito gostoso de acompanhar, como o nascimento e o desenvolvimento do relacionamento deles. Grace e Max, por serem tão marcados pelo passado, usam um ao outro como válvula de escape e a amizade que surge entre eles é tão forte que supera o desejo de “apenas sexo”.

Diferente de outros livros com um enredo parecido, onde os personagens querem só sexo, nesse podemos ver um sentimento muito real entre os dois que ultrapassa o desejo que um sente pelo outro. É algo bem real e bem lindo de acompanhar. O problema é a maneira que a autora narra.

Assim como no primeiro livro, as estórias são bem interessantes e convidativas. A trama é boa, mas a autora tem uma narrativa meio maçante e pouco chamativa. É algo que faltou no primeiro livro e também faltou nesse.

Os personagens são muito bonitos e cheios de emoções. O livro é cheio de cenas lindas e intensas, mas a narrativa mostra uma visão meio chata das coisas, o que nos deixa um pouco decepcionados.

Enfim, não é preciso ler o primeiro livro para ler esse, mas recomendo os dois. Realmente um ótimo trabalho e uma estória que vale muito a pena.


⚠️ SPOILER: Max a deixa com medo de se envolver, mas eles voltam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário